Os Cabelos Naturais e os Padrões de Beleza

Quem por aí usa seu cabelo natural? Sem escova, alisamentos, chapinhas e etc?

Hoje vamos falar sobre os padrões de beleza e como isso afetou a vida dos brasileiros e brasileiras que não se enquadravam nesse padrão.

A moda capilar com o passar dos anos

A revista Cabelos fez um artigo muito interessante sobre o assunto.Quem quiser ler na íntegra, clica aqui.

O que eles contam no artigo é que a moda dos cabelos lisos teve inicio em 1930, mas como não existiam os produtos químicos alisadores, o jeito era usar uns instrumentos (cabelisador ou pente quente) que eram aquecidos no fogo e depois passados na cabelo.

É claro que os danos aos cabelos eram terríveis. Quem lembra da cena do filme Little Woman (Adoráveis Mulheres) – um dos meus filmes preferidos – em que a Jo queima o cabelo da irmã?

Esse filme (que eu não me canso de assistir! Hehe) se passa em torno de 1860, quando a moda era cabelos longos e perfeitamente ondulados, mas o estrago era o mesmo que os cabelisadores e pentes quentes poderiam causar.

Aqui no Brasil, muitos usavam os ferros de passar nos cabelos para dar aquela alisada (pode perguntar pros familiares mais velhos, vai achar alguém que fazia isso! Rs).

Os anos se passaram e na década de 50 surgiram os primeiros alisadores químicos, como o hidróxido de sódio (soda caustica), que eram mais usados para alisar/relaxar os cabelos afros.

Na década de 70, com a era hippie, os cabelos voltaram um pouco para a naturalidade. Mas ainda assim surgiram alisantes como o hidróxido de potássio, que por ser extremamente agressivo, danificava muito os cabelos.

Nos anos 80, o volume era a moda. Surgiu então o permanente (tioglicolato de amônio), cujo objetivo era dar ondas e volume. Mesmo assim, surgiram outras químicas para alisar como o Relaxer (relaxamento), Henês e toucas químicas.

A partir da década de 90, os cabelos lisos chapados viraram febre, as pranchas foram popularizadas e surgiu o alistamento japonês (quem lembra?), também chamado de escova definitiva. Esse alisamento danificava bastante os fios e o resultado era bastante artificial.

Aqui no Brasil, a preocupação com a imagem, beleza e o interesse por cosméticos é muito alta. Por isso, muitos desses alisamentos foram inventados e utilizados aqui.

A partir 2010, houve a proibição do formol e do ácido glioxilico (por liberar formol quando aquecido). Hoje, a Anvisa permite as seguintes substancias para alisamento: tioglicolato de amônio, carbonato de guanidina, hidróxido de guanidina, de sódio, de potássio, lítio e cálcio.

Padrão de Beleza e a Liberdade

Esse padrão de beleza de cabelos lisos fez com que muitas mulheres (e homens também, mas em menor proporção) se mantivessem reféns desses alisamentos e, com o passar do tempo, muitos foram percebendo os danos físicos e psicológicos.

Muitas meninas, ainda crianças, sofreram com bulling por causa dos cabelos ondulados, cacheados e afros. Não podia-se ser quem era, tinha que seguir os padrões.

Porém, as químicas danificaram muito os fios e muitas mulheres passaram a ter queda de cabelo, aumento da oleosidade e até alopecia devido aos danos.

Nesse momento, muitas mulheres passaram a querer seus cabelos naturais, estavam prontas para serem livres da escravidão das químicas. Seguir os padrões impostos pela sociedade não valia mais a pena.

Observação Pertinente 1: não estou aqui querendo que você, ou que ninguém, deixe de fazer química ou faça química. Cada um faz o que quer com o cabelo, mas faca com consciência do que esta fazendo!

Transição Capilar

Neste momento surge a transição capilar. As mulheres simplesmente pararam de usar química e deixaram seus cabelos crescerem naturais.

A transição capilar é um sofrimento para muitas mulheres, pois, por muito tempo, os cabelos ficam com duas texturas e a autoestima pode ser afetada.

Quando o cabelo cresce o suficiente, ocorre o Big Chop (o grande corte) para tirar todos os vestígios do alisamento e sobra apenas os cabelos naturais.

E gente, olha essa foto! Nem preciso mais falar nada, né?!

Eu adoro ver fotos de transição capilar e big chop, sigo até as hashtags! Rs

Semana do Cabelo Real

Essa semana, um cabeleireiro especializado em cabelos reais (naturais e sem químicas alisadoras), chamado Bruno Dantte (@brunodantte) criou a Semana do Cabelo Real (#desafiocabeloreal), no qual ele está divulgando uma serie de video-aulas para ajudar as pessoas que querem usar seus cabelos naturais.

As aulas 1 e 2 já foram liberadas. Não sei quanto tempo elas ficarão liberadas, então, se você tem interesse, corre no site dele ou no instagram para mais informações.

Eu já assisti e vou tentar fazer esse desafio por aqui, e trago novidades para vocês! Vamos fazer também?

Lição Toon: Persistência

Se você era criança na década de 90 e assistia Cartoon Network, possivelmente se lembra dessa vinheta.

“É hora de outra lição toon / Sua mente se abrirá / Porque neste mundo louco / Nunca sabes o que encontrarás”!

Para quem não sabe, era um “programinha” de 1 minuto que tentava dar uma lição de moral e vida para crianças, utilizando exemplos dos desenhos. Muitas vezes beirava o non-sense, mas eram bem eficaz para as crianças.

Dito isso, a lição toon de hoje é: Persistência!

Persistência

Brincadeiras e toons a parte, acho que a mensagem que fica é que: sem persistência e resiliência a gente dificilmente vai atingir nossos sonhos e no que consideramos “sucesso”.

Não é do dia pra noite que vamos alcançar tudo o que queremos. E cada um tem o seu tempo (fica aqui um lembrete para ver o video do último post, sobre o Jay Shetty).

Seja na sua carreira ou na sua vida pessoal, o importante é persistir. Vai ter momentos ruins, vai! Talvez você caia muitas vezes, mas o importante é se levantar. Se levantar, aprender com seus erros e amadurecer!

Minha Experiência

Na minha carreira eu tive uma serie de reviravoltas. Tive momentos de amor e ódio pelos meus diferentes empregos. Mas sempre soube que teria algo mais para mim. Fui me descobrindo e persistindo.

Eu tinha uma noção do que eu queria, mas achava tudo muito difícil, achava que “não tinha mercado”, eu tinha medo de falhar e acabei não tendo coragem e autoconhecimento para dar o passo para frente. E nessa época tudo era mais fácil, eu não tinha filhos e quase não tinha responsabilidades.

Hoje, está tudo relativamente mais difícil. Tenho menos tempo e muito mais responsabilidades. Mas eu resolvi me dar uma chance e o que era difícil se desmitificou e eu me reinventei.

Cada caso é um caso

Como sabemos, cada caso é um caso. Não estou falando para você surtar, jogar tudo pro alto. Não. Siga os seus sonhos com consciência, pé no chão, tranquilidade e PERSISTÊNCIA! Não vai ser do dia pra noite, mas dá pra chegar lá!

* * *

“Essa foi outra lição toon / E se você pouco sabia / Caminhando pelo mundo / Vai aprender o que não queria!”.

Gostaram dessa nova seção?

TED Talks Bacanas #1

Oi, gente! Hoje vamos estrear a tag #tedtalksbacanas! Para quem não conhece, os TED Talks são palestras no qual os palestrantes (que são experts em determinado assunto)  tem entre 10 e 25 minutos para resumir, com um certo entusiasmo, alguma ideia ou conceito. O objetivo oficial segundo a própria organização é a disseminação de ideias.

Para inaugurar a tag, um TED Talk que eu, pessoalmente, adoro!

Está sem legenda, mas vou deixar o link para o vídeo com legenda:

Emily Wapnick – Por que alguns não têm vocação específica

E ai? Gostaram?

Tem algum TED Talk que gostaria de ver aqui? Deixa seu comentário!