Maquiagem e a sua Imagem

Oi, pessoal! Hoje vou falar sobre técnicas de maquiagem e sobre imagem.

Há 20 anos atrás, quando comecei minha curiosidade juvenil pela maquiagem não se tinha tanta opções de produtos e pouco se sabia da forma de usar os poucos produtos existentes.

Os Anos 90

De fato, olhando para as fotos das atrizes do final da década de 90, as maquiagens eram mal acabadas e a falta de estética e harmonia prevaleciam.

Maquiagens dos anos 90

A internet estava no seu inicio, não existia os milhões de tutoriais e técnicas diferente sendo ensinadas extensivamente, muito pelo contrario. Tudo o que se sabia era praticando na própria face ou no “boca a boca” entre mães e filhas, amigas e vendedoras de farmácias.

Eu era ávida por novidades de maquiagem e cosméticos, mas quase nada chegava aqui no Brasil. Era preciso fuçar as prateleiras de farmácias e lojas especializadas para achar alguma novidade, e sempre com cores muito restritas e sem tecnologia.

Maquiagens dos anos 90

A Maquiagem Atual e as Infinitas Opções

O tempo passou e muita coisa mudou. Hoje temos uma quantidade infinita de opções, cores e técnicas. Mas qual seria a mais adequada para você no seu dia a dia? Qual maquiagem passa a imagem que você deseja/precisa com as técnicas e produtos atuais e em harmonia?

Um problema comum que vejo nas minhas aulas de auto-maquiagem é a falta de atualização das técnicas e produtos de maquiagem. É como se toda a rotina de maquiagem tivesse sido congelada no final dos anos 90 e a falta de estética prevalece.

De fato, uma pessoa que não tem tanto interesse pelo assunto e não se mantem atualizado das milhares de novidades, pode achar extremamente desanimador a quantidade de informações e produtos existentes no mercado. O resultado é a manutenção da rotina de sempre, que se torna antiquada.

Por Onde Começar?

Em vários dos meus atendimentos de automaquiagem, percebi uma rotina de make que criava uma tela em branco no rosto (base, corretivo e pó) para depois devolver alguma cor (batom, delineado, rimel e blush). Mas a cor era devolvida de forma antiquada e exagerada, muitas me lembram a Lucy de I Love Lucy, que é um programa dos anos 50, vejam só!

A atriz Lucille Ball caracterizada de Lucy do seriado I Love Lucy.

O Depois e o Antes

A foto abaixo é a reprodução de uma foto enviada por uma cliente que mostrava sua maquiagem antes da aula de maquiagem comigo e depois, com as novas técnicas aprendidas. Inclusive tentei reproduzir o delineado com falhas.

Essa sou eu com duas maquiagens distintas.

Do lado A, temos uma maquiagem mais atual e em harmonia. Nos olhos coloquei dois tons de sombras para dar profundidade, fazendo um leve contorno na raiz dos cilios inferiores. A sobrancelha é apenas levemente corrigida das falhas. O batom é um nude rosado com cores que fazem harmonia entre si. Fiz um pequeno contorno na testa, coloquei iluminador na maçã do rosto e o blush é aplicado de forma leve nas bochechas esfumando.

Do lado B, temos uma rotina antiquada, com um delineado preto e sem profundidade no olho. Coloquei uma sobrancelha mais marcada. O blush também está mais marcado do que deveria. O batom é muito forte para a maquiagem como um todo. Tudo chama atenção de uma maneira negativa. Mas é uma maquiagem que eu ainda vejo muito no dia a dia.

O Caso de uma Cliente

No caso da minha cliente (e de várias outras mullheres), sua maquiagem estava congelada nos anos 90. Ela passava filtro solar com uma cor e acabamento inadequada para sua pele (deixando a pele envelhecida e pesada), corretivo de uma cor muito clara para ela e pó selando todo o rosto. Para devolver a cor, colocava um batom bem vermelho e fazia um delineado.

Segundo seu relato, a mudança gerou um impacto super positivo no seu ambiente de trabalho. A imagem que ela passava era de uma funcionária rígida e ultrapassada (maquiagem B).

A atualização do seu visual e da rotina de maquiagem veio junto com uma promoção e seu objetivo de se tornar uma líder mais acessível estava sendo construído de fora para dentro com a Consultoria de Imagem.

Uma maquiagem muito marcada ou extravagante (especialmente se usada diariamente e em ambiente de trabalho) gera um afastamento, passa a imagem de pessoa desatualizada ou severa.

Já uma maquiagem em harmonia passa a imagem de uma pessoa em paz, de pessoa confiante que sabe o que faz. Ela aproxima e aconchega.

O que falta? Atualização!

Note que aqui não estamos falando de cor. Ambas as cores estão adequadas para o meu tom de pele, mas a forma de combinar as cores e as técnicas utilizadas para cada item variam muito.

Um detalhe importante é que fiz essa maquiagem com a mesma preparação do rosto (base, corretivo e pó). O objetivo era identificar as diferenças na forma de “devolver” a cor e profundidade ao rosto.

A rotina que eu criei junto com a minha cliente levou o mesmo tempo que ela já levava para se maquiar. Não adianta criar uma rotina impossível para a pessoa realizar no dia a dia, mas tem que estar de acordo com a imagem que quer passar e sempre em harmonia.

A Consultoria de Imagem

Costumo dizer que a Consultoria de Imagem é uma terapia às avessas. Enquanto na terapia tratamos de dentro para fora, na Consultoria o tratamento é de fora para dentro.

Espero que tenham gostado do artigo de hoje. Qualquer dúvida e orçamentos, estou a disposição.

Chrissie Brown: A Pele Oliva

Hoje vim falar da transformação de Chrissie Brown!

Quando Chrissie me procurou sua maior queixa era a dificuldade de encontrar cores de roupa e maquiagem que ela se sentisse bonita.

Isso é muito comum quando a gente não se encontra com nossa coloração e estilo.

Chrissie é modelo, mas antes de conhecer suas cores estava com poucos trabalhos.

Chrissie relatou que sempre usou tons vibrantes e claros. Era assim que sua mãe a vestia enquanto criança e ela manteve o hábito na vida adulta.

A mãe de Chrissie chama-se Lilian e ela resolveu fazer Análise Cromática também.

O que descobrimos? Lilian tinha uma coloração clara e vibrante (primavera intensa), enquanto sua filha Chrissie uma coloração escura e mais sóbria: Inverno Escuro.

A Pele Oliva

Chrissie é um exemplo de pele oliva! De mãe branca e pai negro, Chrissie tem uma combinação de cores únicas! Embora sua pele aparente ser quente (fundo amarelado), ela se ilumina com os tons frios (fundo rosado, azulado) e escuros!

A Descoberta das Coloração

Ao descobrir suas cores, Chrissie passou a se maquiar e se vestir de acordo com com a sua coloração pessoal e conseguiu varios trabalhos incríveis!

Na sua maquiagem, ela começou a trabalhar melhor o contorno e a sombra e levar em conta as suas lindas feições.

O Resultado já é de imaginar! Chrissie está um arraso! Se sente linda todos os dias, está prosperando em sua vida profissional e não poderia estar mais feliz!

Observação: esse artigo trata-se apenas de uma brincadeira para exemplificar como a Análise Cromática pode impactar na sua vida, escolhas e auto-estima, além de ser uma forma interessante e lúdica de autoconhecimento!

A Temperatura de Marcella

Semana passada, falamos nos stories do Instagram sobre a temperatura de pele da Youtuber Marcella Tranchesi. Como tiveram muitos comentários, resolvi fazer um post fixo aqui no site!

Antes de começarmos, gostaria de lembrar que a única forma de se descobrir a coloração pessoal e temperatura de pele de alguém é a partir da Análise Cromática. Dessa forma, as análises aqui realizadas são apenas para fins de exercício e exemplificação.

Temperatura da Pele

Todas as cores possuem três categorias de características: temperatura, profundidade e intensidade. Hoje falaremos apenas da temperatura, que pode ser quente (fundo amarelo), fria (fundo rosado/azulado) e neutra (tem um pouco de amarelo e de azul/rosa).

Temperatura de Pele x Temperatura de Base

Escolher o tom certo de base não é fácil! Até os mais experientes e entendedores do assunto encontram dificuldades e, por vezes, acabam usando uma base com tom diferente da pele.

vestido

Na foto acima, vemos um exemplo claro de base fria (fundo rosado) em pele quente (fundo amarelado).

Esse é um erro comum. Ela é linda de qualquer forma e a maquiagem está com um acabamento perfeito, mas o tom correto ficaria ainda melhor.

Muitas vezes criamos emoção com as cores (e com as maquiagens também) e não escolhemos os tons que são mais adequadas para a nossa coloração pessoal. A mesma coisa pode acontecer com as roupas que usamos.

Temperatura de Pele x Temperatura da Roupa

Quando escolhemos uma roupa, o ideal é usarmos algo que esteja de acordo com a nossa coloração pessoal. Ou seja, a recomendação para uma pessoa com pele quente é usar roupas com cores quentes também.

Lembre-se que hoje estamos falando apenas de temperatura, mas as outras características das cores (profundidade e intensidade) também são de extrema importância.

quente-frio-azul.jpg

Por definição, o azul é uma cor fria (e o amarelo é uma cor quente). Todavia, existem azuis mais frios e outros menos frios. Na foto acima, por exemplo, temos um azul frio do lado direito e um azul “esquentado” no lado esquerdo.

Percebam que o azul “quente” tem um fundo mais amarelado e na foto fica até parecendo um verde azulado.

No caso do vestido usado pela Marcella, temos um azul frio.

vestido original modificado

Na foto original (a direita), Marcella está usando um vestido azul frio. Já do lado esquerdo, realizei modificações e podemos observar um vestido com uma coloração mais quente.

Por ter a pele com fundo quente, as roupas de tons quentes deixam Marcella com mais harmonia em relação a cor. Porém, esse vestido é bem decotado e aparece bastante pele, o que é uma excelente forma de se usar uma roupa que não entra na nossa coloração pessoal.

Pele e Roupas “Quentes”

Abaixo podemos observar uma coletânea de fotos de Marcella com roupas de tons mais quentes.

Percebam como essas cores encaixam bem na coloração pessoal dela. As cores mais quentes realçaram a beleza, mas sem chamar mais atenção do que ela. O que deve chamar atenção é a pessoa e não a roupa!

Outros artigos

Se quiserem saber mais sobre temperatura, coloração pessoal e análise cromática, acessem os artigos abaixo ou entrem em contato.

E ai, noivinha? Qual o seu branco?

O que é e como é feita a Análise Cromática?

Consultoria de Imagem na Elsa de Frozen

 

Batons – A Série: Episódio Contraste.

No episódio de estreia de Batons: A Série, vamos falar mais uma vez de Contraste (diferença entre as cores de pele, cabelo e olhos).

Ficou perdida? Não sabe o que é contraste? Clique aqui e leia esse artigo.

O nosso contraste nos revela como podemos usar as cores, independente da sua cartela de coloração pessoal (clique aqui) e do seu subtom de pele (fria, quente ou neutra), o seu contraste, por si só, irá te ajudar a escolher estampas e cores do batom.

Como assim?

Pessoas de alto contraste “aceitam” mais cores destacantes, enquanto pessoas de baixo contraste “se apagam” com cores em destaque.

Vamos ao nosso caso prático com Gisele Bundchen e Anne Hathaway?

Gisele Bundchen

Como vimos no artigo sobre contraste, Gisele Bundchen tem contraste BAIXO, certo? Certo. Agora olhem para as fotos abaixo:

Na maioria das vezes, Gisele aparece com batons em tons claros, nudes e cor de boca. Esses tons são os que harmonizam com o seu contraste. Um tom muito escuro, chamaria mais atenção do que ela e, para ela, esse não é objetivo.

Mas consegui pegar algumas fotos de Gisele com batons em tons mais fortes. Aqui não estamos analisando a temperatura (quente, frio, neutro) das cores, apenas a questão dos contrastes, ok?

Nessa foto, Gisele está com um batom vermelho vivo e está linda. Mas por que ela ficou bem? Por que ela criou um contraste para dar vida e harmonizar com o batom. Ela está com um penteado com os cabelos presos e com efeito molhado, o que escurece o cabelo. Ao “escurecer” os cabelo, ela criou um contraste maior. Fazendo isso, foi possível usar um vestido preto fechado na gola (possivelmente fora da cartela dela) e para combinar com o novo contraste, um batom vermelho.

Ou seja, contraste pede contraste.

Nessa outra foto, para a propaganda de uma nova linha de maquiagem do Boticário, Gisele aparece com batom vinho roxeado. E ficou bom? Sim! Perceba que os cabelos dela estão visivelmente mais escuros, de forma que o contraste está adequado. Se a foto não tivesse sido tratada e Gisele aparecesse com seus cabelos loiríssimos e dourados da cor de sua pele, colocando esse batom escuro, ela sumiria, geraria um incômodo visual.

Nessa ultima foto, temos Gisele no ano 2000. Seus cabelos tinham mais contraste (raiz mais escura e pontas mais claras). Ela aparece com um batom vermelho quente lindíssimo. Nessa época, mesmo ela já tendo mais contraste, a maquiagem do olho com esse gatinho preto, criou ainda mais contraste. Ficou belíssima!

Anne Hathaway

Anne Hathaway tem alto contraste (quando não pinta o cabelo) e, por isso, abusa dos batons mais coloridos (vermelhos, rosas).

Mas isso não quer dizer que ela tem que sempre usar batom colorido. Pessoas de alto contraste também ficam bem com batom nudes, claros e cor de boca. É mais fácil para uma pessoa de alto contraste ficar bem com batons de cores diferentes.

E as de médio contraste?

As de medio contraste devem ser vistas caso a caso. Porém, se você ficou na dúvida, siga as orientações das pessoas de baixo contraste. É mais garantido.

Uma Observação Importante

O objetivo dessa serie de artigos sobre batons é para quem tem dificuldades de usar batons coloridos, por que não se sente confortável ou bonita. É a visão sobre batons, cores e contrastes dentro da Consultoria de Imagem.

Se você usa batom de forma contraria o que está aqui, se sente bonita e confiante. É isso o que vale! Bem-estar e auto-estima sempre!

Espero que tenham gostado!

Se ainda tiverem dúvidas, comentem ou entrem em contato!

Qual o seu Nível de Contraste?

Olá!!!

Hoje vamos falar sobre contrastes na nossa coloração pessoal!

Existem cinco níveis de contrastes em relação a profundidade da cor: Alto Contraste, Medio-Alto Contraste, Médio Contraste, Médio-Baixo Contraste e Baixo Contraste.

Para avaliarmos o nível de contraste de uma pessoa, devemos observar a diferença da cor dos cabelos, olhos e pele.

Na foto acima selecionei 3 celebridades cada uma com um nivel de contraste diferente. Você consegue identificar qual é qual?

Aqui estamos falando apenas de contraste! Selecionei propositalmente essas três mulheres pois elas não só possuem níveis de contrastes diferentes como temperaturas de pele diferentes, mas isso é assunto para outro dia.

A Avaliação

Em algumas pessoas, a identificação do nivel de contraste é mais facil, mas para outras a análise deve ser feita com mais cuidado.

E como é feita essa análise? O primeiro passo é tirar uma foto da pessoa e passar a foto para Preto e Branco. A foto deve ser sem maquiagem e correções, mas aqui peguei essas do Google para fins de exercício.

Em seguida, obtemos amostras pontuais da cor dos cabelos, pele, olhos, sobrancelha da pessoa analisada. E enfim, analisamos a diferença entre a profundidade dessas amostras.

Vejam abaixo a avaliação das celebridades selecionadas.

Ficou mais fácil saber quem é alto, baixo e médio contraste? Facilita muito, não é mesmo?

Reese Witherspoon é Médio Contraste. Anne Hathaway é alto contraste. Gisele Bundchen é Baixo Contraste.

Conseguem perceber que a diferença da amostra das cores da Gisele é menor que a de Reese? E, por sua vez, a diferença das cores das amostras de Anne são maiores que as cores de Reese e Gisele.

Mas para quê avaliar o contraste?

O objetivo da avaliação do contraste é observar as estampas e quebras de cores na qual uma pessoa fica bem ou não.

Ou seja, pessoas com alto contraste ficam bem e “podem” usar estampas de alto contraste. Já pessoas com medio/baixo contraste devem usar estampas e quebras de cores mais sutis, menos contrastantes.

Observe o exemplo abaixo

O vestido de Reese tem alto contraste e acaba chamando mais atenção do que ela. Olhe novamente, seu olhar acaba sendo direcionado para o vestido e não para a mulher.

Agora observem Anne: iluminada e magnífica. Como a estampa “imita” o contraste da coloração de Anne, quem aparece é ela, não o vestido. Perceberam?

Não é só o nível de contraste que define o tipo de estampas que podemos usar, nosso tipo fisico, cartela de coloração pessoal e imagem que queremos passar também tem grandes influências.

Mudanças de contrastes

Quando mudamos a cor dos cabelos, podemos estar mudando nosso nível de contraste. Mas mudar o nível de contraste é ruim ou bom? Depende!

Na teoria, a nossa cor natural de cabelo é sempre a que nos garante um nível de contraste melhor. Entao, a princípio, mudar o nível de contraste, seria ruim. Mas, como toda regra, existem exceções e essas devem ser analisadas caso a caso, considerando também a imagem que queremos passar.

Além disso, outros fatores devem ser avaliados, em relação a nossa coloração pessoal, quando realizamos mudanças capilares, como o seu tom de pele (neutro, frio ou quente).

* * *

Por hoje é isso! Gostaram? Conseguiram identificar o seu nível de contraste?